Dualidade



Mais que corpo, ela é entrega de alma. 
Ela é dualidade.
Menina e Mulher,
que as vezes se complementam 
e se confundem.

Carrega calma no olhar,
e liberdade no andar. 
Revolucionária, 
em um mundo de orgulhos
tão bem feitos
Ela preferiu ter coração fora do peito. 

Alguns deleitam-se em sua calmaria, 
no sorriso brando sem maldade,
mas se iludem ao não perceberem
que seus passos são firmes, 
seu calçado é de titânio,
e que ser ventania 
sempre esteve em seus planos.

Ela veste amor,
e é um poço de bondade, 
mas esquecem, 
que ela carrega a destreza na bagagem
jamais vista nessa cidade.
Ela é o hoje,
e amanhã só Deus sabe.

Cada passo que ela dá tem, consistência. 
Segue com afinco o caminho 
que escolhe seguir. 
Com tropeço, 
contramão,
recomeço,
e persistência.

Muda, se veste
e reveste do próprio avesso.
E o que realmente importa, 
é o que ela quer. 
Enquanto o mundo deseja o fútil,
ela cobiça o essencial. 
Não se limita ao olhos,
Enxerga com a alma
que é seu potencial.

Sorri ao observar a beleza do sol amarelo,
e do céu azul em seus lapsos infantis,
mas contempla a beleza dos mesmos
como uma poeta parnasiana.
Madura o suficiente
para não levar a vida tão a sério, 
menina demais 
para não sentir o frio na barriga 
do suspense que a vida traz.

Por Ingrid Ramires

5 comentários

  1. QUE TEXTO LINDO <3

    Beijos
    barbfurtado.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. "Enquanto o mundo deseja o fútil,
    Ela cobiça o essencial.
    Não se limita ao olhos,
    Enxerga com a alma."

    Eu ameeeei esse trecho e você sim é maravilhosa Ingrid ♥


    https://heyimwiththeband.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. que bonito poema
    https://retromaggie.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  4. Lindo <3

    http://quaseadultapl.blogspot.com.br/
    Beijinhos ♥

    ResponderExcluir